27 de outubro de 2014

Quem?

Quem pode entender que os momentos são só momentos? As conclusões são tiradas em horas erradas  e é isso que me torna tão patética.  Sou tão ingênua em acreditar que todo mundo é bonzinho e sincero o tempo todo que me deprimo ao lembrar que na verdade estou sozinha à procura de um alguém que não existe. Os momentos são só momentos, as pessoas são só partículas de uma vida mais profunda que o oceano todinho... Será? Dúvida que me mutila, tristeza que me esquarteja... Oh, para onde foi esse alguém que todo mundo têm? Pois tudo o que tenho é o que há dentro em mim.
E se dentro de mim reside alguém, esse alguém é um monstro, o pior de todos. É aquele das incertezas e certezas irreais. O monstro da ilusão e alusões erradas.  Ele sempre esteve aqui e adora dar as caras quando está tudo bem comigo. Monstro esperto que escurece minha tardes, monstro dos sentimentos maliciosos que me abre os olhos errados.
Sai daqui, maldito
Tire esses pensamentos de mim.
Pode alguém me trazer um pouco de paz?

Quão bom é quando não estou por mim mesma, pois quando sozinha estou o monstro vem de uma vez.
Uma vez forte e sem avisar até quando fica,
Monstro mal-educado, é esse...
Mas...

E se...
E se...
E se esse monstro for eu?

Os momentos são só momentos... Quem pode entender isso?

Nenhum comentário:

Postar um comentário